segunda-feira, 1 de setembro de 2008

la biennale di venezia !

Oi galera (eu sei que foi ridículo).
Como estão vendo é o meu primeiro título em italiano do blog. Eu pretendo que tenham muitos outros. Desde que eu assisti A vida é bela, eu comecei a ter uma paixão extraordinária pela língua. E outra, são minhas raízes, não é mesmo?
Sobre o festival de Veneza? Achei o site oficial, mas, por mais que eu me esforce, minha mente não está nem um pouco afim de pensar em inglês. Tudo o que eu sei é que, em menos de uma hora, o festival terá início. Se é que foi isso mesmo que eu entendi... Quer dizer, talvez eu tenha lido errado o início seria às 19h de lá, da Itália, e não do Brasil. Mas, de qualquer forma, Natalie Portman estreará (ou estreou, se eu estiver errada) o seu filme, Eve, fora das competições. Eu preciso ver as categorias e competidores, para ter uma base e uma opinião. Quando a página do site abriu, apareceram várias fotos de atores como Keira Knithley (corrijam-me se estiver errada sobre o sobrenome dela), Richard Gere (Jesus apaga a luz!), Brad Pitt, Angelina Jolie e um cara maravilhoso-não-identificado (que tudo indica que seja Brad Pitt um pouco mais barbudo. E, em pequenas hipóteses, Billy Ray Cyrus).
Eu achei um blog de cinéfilos (coff coff, não é o meu) realmente bom e suspeito que lá haja notícias bem redigidas sobre o evento e em português. Estou tentando entrar para ver se encontro alguma coisa, então, se der 19h e eu não ter postado ainda (o que é mais provável que aconteça), não me culpem.
Hoje a minha tarde foi extremamente cansativa, porém divertida. Eu, Laís, Geovanna e Agusto descobrimos juntos o motivo de a cidade ser apelidada de Princesa das Colinas. Pelo menos fortaleci minhas pernas, o que eu acho que é muito bom. Ensaiamos para o Juri, e foi legal. Quero dizer, eu apenas respondi algumas perguntas em inglês e depois eu e a Ju ficamos lendo a minha fic no orkut. Não que alguma coisa desse ponto tenha a ver com o festival, mas é pra enrolar enquanto eu não acho nada, já que, em apenas dois minutos, o sino bate as doze badaladas das sete horas. Mentira, até porque não tem sino nenhum aqui.
Descobri, aparentemente, que o filme Se eu fosse você, com Glória Pires e Tony Ramos terá o segundo filme. Na verdade, não me lembro muito de como é o primeiro, porque assisti na minha fase de revolta contra o país e fingia odiar e tentava não rir com os filmes. Depois que assisti Saneamento Básico, eu tive de abrir mão dessa coisa toda. Agora estamos aprendendo, de fato, como fazer filme. Na verdade, na minha opinião, não somos NÓS, o Brasil como um todo, mas sim, Porto Alegre, o que EU (enfatizei, para demosntrar que ninguém precisa pensar a mesma coisa que eu, se não quiser) considero a Hollywood brasileira, em termos de maior indústria cinematográfica do país. Quero dizer, eu não incluí Porto Alegre em 'o Brasil como um todo', porque eu não incluo o Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina no Brasil, fala sério, eles são de outro mundo. Voltando ao início da conversa, estamos (Porto Alegre está) aprendendo a fazer filmes bons de verdade. Percebi isso em Saneamento Básico, no trailer de Ensaio para a cegueira e no cartaz (isso mesmo, apenas com o cartaz) de A cidade alguma coisa. Acho que é separada ou sei lá o quê.
Fugindo totalmente do assunto, uma coisa me ocorreu ontem à noite, enquanto capengava de sono. Eu nunca, NUN-CA conseguirei entender, por mais explicações que meu pai me dê, o processo eleitoral nos Estados Unidos. Por exemplo, aqui no Brasil, eu entendo tudo perfeitamente, com a excessão da existência das 'coligações', que eu não sei exatamente o que significa. Tipo, quando a Hilary saiu da campanha dela eu não entendi completamente nada, ainda mais quando soube que havia chances de ela ser vice do Obama. E o McCain, que surgiu do nada? Não entendo mais nada, viu? Tipo, eles estão com a campanha desde o início do ano, se não me engano e não serão, como é aqui, eleitos em outubro. Ah, fica difícil explicar a minha dúvida se nem eu mesma entendo. Só tenho a certeza que isso vai para o editorial da semana que vem. Se a cidade for caridosa e tiver pena de uma pobre garotinha de 14 anos que está ingressando na carreira jornalística, assim, tão cedo e tem dúvidas sobre fatores tão importantes da vida, talvez eles me mandem um e-mail explicando sobre como funciona. E é sim um fator extremamente importante da vida, pelo menos da MINHA vida. Eu, em breve, serei uma cidadã Hollywoodiana e, com certeza, terei título estadounidense (é, ficou legal o termo - errôneo? - 'estadounidense' nessa frase), portanto terei de exercer a minha cidadania e meu possível patriotismo lá.
Meu Deus, eu não sei o que eu tomei, só sei que não fez bem.
Eu estou com a leve impressão de que esse será o maior e mais anormal post de toda a minha vida. Quero dizer, eu comecei a escrever quando faltava uma hora para a abertura do festival e agora ele já começou a 12 minutos. Isso é, se eu não li errado...
Preciso assistir filme, qualquer um (menos Notting Hill e Um amor para recordar. Um dia eu explico o por quê). Alguém sabe alguma coisa sobre Amelie Poulaine (é assim?)? Eu vi uma vez na Saraiva, um DVD dela, mas eu não sabia sobre o que se tratava, além de todas as outras coisas que eu vi sobre ela.
Vou voltar para o meu livro e as cem páginas que restam até o fim e o empréstimo para a Laís e pesquisar sobre a Amelie não-sei-se-escrevo-certo.
God Bless.
xoxo, m.

2 Comentários:

Blogger grabiel disse...

Pensei que o seu editorial entrava hoje (segunda-feira) nas revistarias mais badaladas das três cidades já citadas - Pensei errado. Sai semana que vem, certo?

2 de setembro de 2008 15:40  
Blogger m. disse...

entrou sim, segunda feira. em todas as bancas de jarinu, itatiba e morungaba. ah, não entendi o comentário ._.

3 de setembro de 2008 14:19  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial